ALEH Blog

Blog do Alessandro Andrade. Magrinho, Engenheiro e toca violão.

5 coisas que me irritam no trânsito

Hoje em dia, quem mora numa grande cidade tem de conviver todos os dias com engarrafamentos e dores de cabeça causadas pelo trânsito.

Aqui em Brasília, apesar da cidade não ser tão grande quanto São Paulo ou Rio de Janeiro, o trânsito tem ficado muito complicado nos últimos anos. O problema é que as ruas da cidade acabaram não acompanhando o aumento na quantidade de carros e os engarrafamentos tornaram-se inevitáveis.

O problema do trânsito pode ser facilmente compreendido entendendo a seguinte lógica:

  1. Todos os anos, muitas pessoas passam em concursos públicos em Brasília e migram de todas as partes do Brasil para cá.
  2. Como todo bom cidadão que passa num concurso público e obtém um emprego estável e de bom salário, a primeira coisa que o indivíduo faz é comprar as coisinhas que tinha vontade. Um carro, por exemplo.
  3. Dessa forma, o nosso amigo que passou num concurso público não vai mais precisar pegar carona, nem ônibus, nem metrô para ir pro trabalho. Ele vai no seu próprio carro novinho em folha.
  4. Com isso, temos um trânsito cheio de carros com uma pessoa só dentro, que agora não está tão satisfeito, porque tem que enfrentar um trânsito infernal todo santo dia.

Como eu também sou um dos cidadãos que enfrentam o trânsito todo dia para ir e voltar do trabalho, resolvi listar as situações e comportamentos que mais me causam irritação, stress, indignação, fúria e revolta nas ruas dessa Capital Federal.

I) Gente que cola na traseira do seu carro e fica jogando luz alta.

Esta é, de longe, a situação que mais me causa indignação. A questão é que a maioria dos motoristas que têm este tipo de comportamento não o fazem pela urgência de passar logo. Não, não. A grande maioria dos motoristas que jogam luz alta no seu retrovisor o fazem para demonstrar sua superioridade sobre você. Não importa se existem outras duas faixas completamente livres. A questão aqui é o domínio da faixa da esquerda. Ou mesmo a do meio. O fato é que é necessário ficar bem claro pra você e, consequentemente pra ele, que como o carro dele é mais bonito, mais potente ou mais rebaixado e cheio de neons no seu interior que o seu, então você É OBRIGADO a dar passagem para ele. Só isso. É uma questão de “quem é que manda aqui”.

Existe uma sub-classificação dentro desta situação, que é o motorista que joga luz alta há 200 metros de distância de seu carro. Como ele tem CERTEZA que vai te alcançar em poucos segundos, ele já faz questão de ir te avisando o logo. A questão é que esses poucos segundos acabam virando mais segundos, meio minuto… 5 minutos. Infelizmente a gana do motorista em te ultrapassar não é acompanhada pela potência do seu carro 1.0 financiado a perder de vista.

II) Gente que não dá seta.


Esse tipo de motorista me causa muita indignação, além de muitos acidentes também. O pior é que a maioria dessas pessoas acham que não há mal nenhum em não dar seta, considerando que “não é possível que ninguém tenha percebido que eu ia entrar pra lá”. O pior é que em alguns casos, essas pessoas só te fazem perder tempo, pois você acaba não entrando numa outra via porque não sabia que o indivíduo ia fazer o retorno antes da sua entrada.

III) Gente que dá seta ad aeternum e não entra nunca.


Eu aprendi essa expressão em latim com meu amigo advogado Guilherme, que também compartilha da mesma indignação que eu sobre isso. Se você não se deu ao trabalho de clicar na expressão para saber seu significado, ad aeternum significa PARA TODO O SEMPRE.

Existem algumas pessoas – ou alguns carros, não sei – que ao ligarem a seta em algum momento em que estavam com vontade de ir para a esquerda ou para a direita, por algum motivo desconhecido, mudam de idéia ou então ficam na dúvida, ou nem sequer lembram que a bendita luzinha ainda está piscando. E você, que vem atrás do condutor distraído, fica naquela expectativa eterna, aguardando que o indivíduo mude de faixa, entre no retorno, sei lá, FAÇA ALGUMA COISA PELO AMOR DE DEUS!

Nesta categoria também podemos enquadrar as pessoas que acham bonito deixar o pisca-alerta ligado enquanto dirigem por aí. O pisca-alerta serve pra quando você está com o carro parado, caro condutor. Ou no máximo para um alerta súbito, quando o trânsito para bruscamente no engarrafamento, código muito difundido e utilizado pelos motoristas sensatos de Brasília.

IV) Gente que não sabe pra onde vai.


Poderíamos enquadrar esse tipo de comportamento dentre as pessoas que não usam a seta, mas pelo nível de indignação proporcionada pelos condutores “barata-tonta”, resolvemos destacá-los num item exclusivo.

Muitas vezes esses motoristas estão claramente sob o efeito de alguma substância ilícita, como álcool (considerando que você não pode beber e dirigir) ou até mesmo algum entorpecente. Outras vezes, não é o caso. Muitas vezes o problema é porque o motorista está fazendo duas, três ou até quatro coisas diferentes ao mesmo tempo. Tipo dirigir, contar piada pro amigo, brigar com as crianças no banco de trás e pedir pra arrumarem o retrovisor direito ao mesmo tempo.

V) Gente com carrões andando lerdamente.

Não pense neste momento que eu estaria automaticamente pagando minha língua e entrando na categoria dos que jogam luz alta. Não desceria a esse nível. Mas quero explicar porque carros lindos e potentes andando a 40 km/h me causam uma extrema agonia.

Estes carros desenvolvem 240 km/h. Até 300 km/h, alguns. Valem muito dinheiro exatamente por isso. Claro que pela nossa legislação, uma velocidade dessas seria impraticável no nosso trânsito. Mas também não vamos exagerar.

Muitas vezes os felizes proprietários desses carros querem simplesmente desfilar com suas belezuras automotivas, acompanhados de uma bela mulher ao seu lado e exibindo seu Rayban e seu Rolex original pela janela aberta. Mas me desculpe, nobre senhor, eu tenho mais o que fazer além de cortejar o seu desfile pela rodovia.

Enfim, essas são as principais fontes de raiva para mim no trânsito. Claro que existem muitos outros motivos além desses, mas estes são os que sempre guardo na minha memória.

Apesar disso tudo, não quero incentivá-lo a compartilhar minha fúria. Pelo contrário, dirija com cautela, desenvolvendo uma direção defensiva e sendo cortês com seus concidadãos. Não fiquem nervosos… NÃO FIQUEM NERVOSOS!!!


Imagem baseada em tirinha encontrada no Capinaremos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

QR Code

Deixe seu comentário!

Comentários

6 Comments

  1. Não querendo defender os caras da luz alta, longe de mim que também detesto, mas a faixa da esquerda não deve ser utilizada para andar devagar.

    O código de trânsito impõe que as ultrapassagens sempre sejam feitas pela esquerda, dessa forma, se você está trafegando numa via e não pretende ultrapassar ninguém ou fazer um retorno a esquerda, mover-se na faixa do centro ou da direita é questão de bom senso.

  2. Tenho que admitir que o Bruno está certo.

    Mas continuo odiando adeptos dos flashs de luz alta do mesmo jeito.

  3. Sobre setas, poderia existir um sistema com wi-fi (rfid) que calcula quantas vezes uma pessoa virou, o volante, e não deu seta. Então em postos de gasolina teria um receptor, que transmitiria esses dados para o detran, (junto com a placa do carro) informando o quanto o motorista ECONOMIZOU não DANDO seta, e tomaria uma bela multa.

    Já que vão colocar GPS em ônibus fica aí a dica.

    Brasília sinceramente não combina viu… tanta gente concursada, tanta gente que trabalha no PODERRRRR… Será que pelo menos esta fatia DÁ SETA ?

    sinceramente viu…. esperava mais de uma capital federal… gente com diploma mas sem nenhuma educação no trânsito. afff

  4. @anonimo,

    violam-se alarmes, contadores de quilometrageme tantos outros dispositivos do carro: quanto tempo demoraria até violarem isso aí também? o sistema funcionaria, mas o que teria de “servicinho” pra isso aí….

  5. Mister Cacovsky, partindo deste raciocínio, que nada é 100% seguro, não teríamos airbag e cinto de 3 pontas, duramente criticados na década de 40 no EEUU, se não me engano.

    Algum dia teremos mecanismos de difícil sabotagem, mas com certeza teremos sempre sabotadores. Mas é assim que sempre foi e sempre será.

    Pois com certeza é muito mais fácil implantar qualquer aparato do que mudar a mentalidade humana.

  6. Waldenei C.

    04/11/2014 at 14:19

    Fiz uma listinha, talvez nao tao compreensivel por nao ter detalhes. Mas pra bom entendedor, “meia pala bas”. 😀

    ligar a seta ao virar o volante e nao antes.
    sair na frente de outro carro e ir devagar.
    andar pela faixa da esquerda em via de mao unica e formar fila dupla impedindo o transito de fluir.
    andar com luz alta dentro da cidade ou atras de outros veiculos independente se é na cidade ou rodovia.
    bloquear cruzamentos durante o sinal vermelho.
    realizar conversao à direita ou à esquerda de forma errada em avenidas com canteiros, bloqueando a passagem de quem vai convergir vindo do outro lado.
    Demorar arrancar o veiculo quando abre o sinal verde.
    Sinal de alerta nao dá direito do motorista parar onde quizer.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

© 2008 - 2017. ALEH Blog

Theme by Anders NorenUp ↑

Licença Creative Commons
ALEH Blog de Alessandro Andrade está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.
Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em http://www.aleh.com.br.